sábado, 15 de julho de 2017

Medo



Escuto os passos do medo...
Ele avança para que seja
sentido nas sombras da noite.
Esteve o tempo todo rondando
em lugares escuros,açoitado
pelo vento como um fantasma
na cela sombria da memória...
Faz do meu corpo um aquário
onde sua sombra navega esquiva,
vagando por veredas primitivas
da alma ,flutuando,apertando o laço
que envolve a vida.
Nesse momento, a saudade na noite
da existência cambaleia sonâmbula
nas mãos da memória...
Abro o livro do desencontro-não viro
 a primeira página-temo que o medo
 vergue atirado por sombra sinistra.
A espera foi longa,deixou um sabor
amargo como uma falta instalada que
desliza triste...em quase nada.


                                    Marcia Portella


Foto_Marijana Kovacevic